domingo, 17 de outubro de 2010

Paradoxos

Um coração moderno na pós modernidade
Gera frutos problemáticos.
A solidão é um dos filhos rebeldes
Acompanhado ora pela alienação
Ora pelo desprendimento da realidade.
Não dá certo viver em dois tempos,
Não adianta oprimir as vontades
E o que se faz quando não batem os prazeres?
Enganar o coração com sonhos utópicos já é rotineiro,
Sonhar com o futuro significa inexistência
Vivemos sempre no presente
Sufocante, libertador;
Mas ainda há dúvidas quanto às explicações sobre o amor
Um amor que nasce no ser humano e o faz morrer
Morrer de amor.
E quem não ama ninguém talvez já tenha nascido ausente de vida.
Amar é dor, satisfação.
Um brilho no olhar, um sorriso aberto
Nem mesmo as palavras conseguem descrever.
Único, injusto, inspirador,
O amor não tem época, nem paradigmas
Mas ainda descomplicando o complicado
Encontro-me presa em um cubículo
Sem ar.

4 comentários:

  1. precisa ser mto invejoso mesmo pra falar mal dos seus textos.......

    ResponderExcluir
  2. única, inspiradora. Ter você na minha vida que é sim uma satisfação. "E quem não ama ninguém talvez já tenha nascido ausente de vida." lindo plug.

    ResponderExcluir
  3. ounnn
    queria te dar um abracinho
    ;P

    ResponderExcluir
  4. que lindo texto!
    saudades d vc....

    ResponderExcluir

Obrigada por deixar um pouco de si por aqui!