quinta-feira, 10 de novembro de 2011

As crianças guardam os maiores segredos do mundo.

"Quando você me conta as histórias de quando você era criança, dá uma vontade danada de ser igual a você. Até parece que você continua uma criança igual a mim. Parece que foi ontem que você brincava de corda no quintal. E chamava os seus amigos para pintar com giz na rua a bandeira do Brasil. Parece que aquela jabuticabeira que você escalava na casa da vovó era mesmo muito grande e você muito forte.

Você me disse que não gostava de comer as verduras que o vovô mandava, mas eu sei que a salada que ele fazia era a parte mais gostosa do almoço. Até ficar doente era uma baita brincadeira, porque não tinha remédio melhor que o melzinho da titia. Nem carro, nem moto, muito menos avião chegam perto do tamanho das asas que você ganhava com aquela balança que ficava no parquinho da rua de trás da sua casa antiga.

E mesmo quando o presente do seu aniversário era só um carrinho de madeira, você criava muuuuuuuitos caminhos para ele te levar. Hoje você sabe que aqueles milhares de machucados pelos tombos de bicicleta são muito melhores que os machucados que a gente não vê. Hoje você sabe que ficar em casa em dia de chuva comendo brigadeiro da vovó era o seu passatempo predileto. E fazer guerra de travesseiro com o titio enquanto o vovô não chegava do trabalho era a aventura mais perigosa. E também a mais divertida.

Você me ensinou que as cabanas feitas de lençol e tantas risadas são as mais poderosas. E que a floresta da sala é o lugar mais seguro para passar uma noite fora de casa. Brincar de teatro e boneca com a titia só porque ela queria poderia até ser brincadeira de menina, mas no fundinho eu sei que você gostava. Às vezes você sentia medo também, das lendas que o vovô contava, mas ele era sempre seu melhor companheiro para dormir de luz acesa e achar isso a maior graça.

A vovó podia até não falar, mas ela morria de vontade de buscar você à noite quando você dormia fora. E o vovô podia até fazer pose de sargento, mas ele queria te proteger e te encher de abraços no seu primeiro dia de aula. Hoje você me conta todas essas histórias e enquanto você me olha com estrelas nos olhos, eu te olho como super herói.

Porque foi você que falou para eu fazer um pedido quando eu ganhei minha primeira janelinha na boca. Foi você que me ensinou que embaixo da mesa é o melhor esconderijo. Mas a lição de casa mais bonita que eu já fiz foi ver que ser gente grande é tão bonito quanto ser criança porque a gente sempre deixa vivo no nosso peito as melhores lembranças da infância. Eu quero ser criança do seu lado, quero voar e construir castelos com você. Oras, você sempre me disse que é o meu melhor amigo. Pai, deixa eu ser criança com você também?"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por deixar um pouco de si por aqui!