terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Afinal, para que servem as carapuças?

Para fingir que está tudo bem? Para proteger alguém? Para mostrar o que você não é? Por que ela existe então? Não sei quem a inventou, só sei que a desprezo tanto quanto a utilizo.

É o medo que transparece sua forma e faz crescer sua força, mas ela não faz bem para ninguém. Se agora parece que melhora, depois vem a avalanche por conta da fraqueza de suas barreiras. Não que ela seja mentira, mas fraqueza. Ela parece ser algo que nunca é e por isso engana. O corpo, mas a mente sabe que aquilo é vergonhoso.

E se ela ainda vive porque a verdade dói somos burros ou ingênuos em não perceber que esconder a verdade dói mais ainda. Ela é tão inimiga da sinceridade que chega a se entrelaçar sobre suas pernas, sorrateira, para derrubá-la. Mas não é assim que as coisas funcionam: elas são muito maiores do que se parecem. Mais profundas, sabe? Eu só sei que independente de minhas críticas ainda não consegui me libertar de todas elas. Ou já tenha feito isso e esteja sofrendo as conseqüências. É melhor assim: que ela fique bem longe de mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por deixar um pouco de si por aqui!