domingo, 12 de fevereiro de 2012

Entrelaçados

Mais um dia qualquer na agenda dos paulistas: céu nublado, dia corrido, metrô lotado. Item por item, a lista vai se preenchendo com fatores rotineiros até a hora que exaustam qualquer ser humano. Não na vida de Bruna e Igor.

Namorados. Igor acabava de sair do trabalho, Bruna seguia para a faculdade. Um dos poucos momentos que estavam juntos era a trajetória que faziam e por isso não podiam desperdiçar tempo.

Apaixonados. Olhavam-se nos olhos, se encostavam com movimentos delicados como se os empurrões das pessoas no metrô não afetassem em nada nem em uma muito menos a outra ação. Era até gostoso quando, de súbito, se tocavam. Era encantamento.

- Amor, fiz dois presentes para você. – disse Igor um tanto acanhado.

- Ah, não acredito! Jura? Obrigada amor, não precisava. – responde Bruna surpresa e admirada.

Igor retira com esforço a mochila das costas e começava a abri seu zíper.

- Mas...espera! Você vai me entregar aqui os presentes? – indaga Bruna com o coração a palpitar.

- Claro! Por que esperar mais? – responde Igor com sorriso de orgulho no rosto.

Ele entrega duas folhas: dois desenhos feitos com todo carinho de um primeiro amor.

- Olha, o primeiro eu fiz para você...

- Colocar no armário, não acredito!

- Isso! O segundo eu fiz pensando em todos os desenhos que já fizemos. Misturei um pouco dos meus traços com os seus, espero que goste amor. – finaliza Igor com as bochechas rosadas.

- Ah, mas é claro que eu gostei! Em que hipótese eu poderia não gostar?- responde Bruna com as lágrimas transbordando aos olhos e borrando a vista dos óculos. – não tenho nem palavras, obrigada mesmo querido!

Ambos se abraçam em meio a beijos delicados. Se olham como se estivessem a sós. Como se o metrô fosse a sala da casa de alguém. Como se a vida fosse para ser vivida intensamente, não importa onde. Como pessoas esquisitas, que por mera anormalidade eram felizes.

(baseado em fatos reais).

Um comentário:

  1. Ei, adorei esse!
    A gente chega a ver a cena.
    E é isso - quando se está apaixonado, nada do lado de fora importa. O que importa, na verdade, são coisas muito simples e mundanas.
    Muito bem retratado.
    Abç, Jefferson Tong

    ResponderExcluir

Obrigada por deixar um pouco de si por aqui!