segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Saudação ao sol


Acordou com aquela carinha que só faz ainda dormente. Em silêncio, fez bico de criança e levantou devagarzinho com os cabelos bagunçados. Alguns fios sobre os olhos doces de saudades, abriu lentamente só pra me deixar com frio na barriga. Eu só observava, louca, fascinada (adorava acordar antes só para ver seu ritual). Aí, levantou os braços e espreguiçou feito animalzinho sonolento. Não me aguentei e soltei um sorriso daqueles que só consigo em momentos assim. A camiseta mostrava os ombros um tanto amassados depois de uma noite de sono incrível, só não melhor que a minha quando sentia suas mãos alisando minha cintura e eu arrepiava só de imaginar seu rosto atrás de mim. Era muita sorte pra uma pessoa só e eu ali, abusando daquela fortuna completa. Era tão gostoso admirar alguém assim...era ela, a pessoa, que ganhava meu apreço, mas voltava todo para mim, quando caia por terra e percebia que não precisava de mais nada senão mais manhãs como aquela.