segunda-feira, 10 de março de 2014

Último adeus

Eu queria que você lesse isso. Sei bem que é desatento, e que às vezes mal vê o que grita em seus olhos. É natural, todo seu, todo você (e confesso ser até bonito). Eu queria que, pelo menos uma última vez, você passasse por aqui. Porque quero dizer que está tudo bem. Eu ando diferente, talvez se você me enxergasse por dentro mal me reconhecesse. Ando meio machucada também. Não posso negar que saber que tomou outro rumo me doi, e muito. Doi saber que aquelas lembranças que ainda passeiam em minha cabeça agora, mais que nunca, são só minhas. E que sim, de vez ficaram no baú de nossas histórias. Doi pensar que seu sorriso ingênuo tem dono, que seu abraço aquece outro coração, que sua disposição atende outros desejos. Doi, mas não mata. Porque já não te amo mais como te amei, sei que nossos caminhos são diferentes. Ainda assim, quando lembro de um amor, você aparece entre um turbilhão de pensamentos. Talvez porque tudo tenha sido intenso demais, novo demais para mim e os sentimentos ainda me sufocam, de coisas boas e nem tão boas assim. Fica tranquilo, eu estou seguindo em frente como posso, como consigo e sei que esperar uma palavra sua ao vivo é realmente querer demais. Eu tenho essa coragem, mas não quero te constranger, por isso resolvi escrever aqui. Pra continuar tudo tranquilo como sempre esteve. Eu já te falei isso e repetiria quantas vezes fosse preciso: você me fez muito feliz. E eu sou eternamente grata por cada segundo vivido ao seu lado. Valeu a pena, cara, e como. Agora, não me olhe com pena, eu odeio isso. Odeio porque não é isso que deve prevalecer depois de tanta coisa boa. Se for pra olhar para mim, que seja com um sorriso no rosto, com lembrança boa no peito.

Muito provavelmente eu pare de ver por onde anda, ou o que está fazendo. Eu pare de me preocupar com o que pensa sobre o futuro porque agora sei que já escreve um. Então, se eu ainda tiver esse direito, posso pedir uma coisa? Diga à sua família que ainda amo muito cada um e lembrá-los me dá vontade de abraçar alguém. E por último, mas não menos importante: faça de tudo para ser feliz, ok? Porque é isso que desejo a você e sempre desejarei, independente de qualquer dor que ainda me faça chorar pelas esquinas e despedidas. Seja feliz porque sua energia irradia o mundo e ele precisa da sua atenção para girar e iluminar muita gente. O que é nosso está pra sempre guardado aqui dentro. Agora, vai e busca o que é teu garoto e se precisar, sabe que sempre você pode contar (comigo).

3 comentários:

  1. Voltei aos meus 20 e poucos anos,talvez menos,mas conheço bem essa dor. Bjs,minha linda.

    ResponderExcluir
  2. Exatamente o que eu vivo, tradução de diversos pensamentos em um só texto. Parabéns, linda história.

    ResponderExcluir

Obrigada por deixar um pouco de si por aqui!